LASPAU

  • Version
  • Download 5
  • File Size 0.00 KB
  • File Count 1
  • Create Date 12 de abril de 2018
  • Last Updated 12 de abril de 2018

LASPAU

Arquivos do evento LASPAU (Harvard), realizado em 2012.


 

Com financiamento da Capes, um grupo formado por quinze professores da Unicamp, 12 do ITA e cinco da Universidade Federal de Itajubá (Unifei) participou, na semana passada, do curso Strategies for Innovation in Engineering Education in Brazil, em Harvard, no Estados Unidos. O curso foi organizado pelo Latin American Scholarship Program for American Universities (LASPAU), uma entidade filiada à universidade americana e que se dedica a promover ações visando à melhoria do ensino universitário especialmente, mas não unicamente, na América Latina. As três universidades brasileiras participantes têm em comum a vontade de modernizar seu ensino de engenharia, para que ele se torne compatível com o que existe de mais avançado no mundo. Dentre os professores da Unicamp foram incluídos representantes do IFGW, FEC, FEA, IC, FEQ, FEM, FT, FEEC, FCA e Feagri.

No primeiro dia de atividades, com o fechamento da  Universidade de Harvard em consequência do furacão Sandy, a equipe realizou reuniões no próprio hotel em que estava hospedada, o que permitiu uma importante troca de experiências entre os professores. “Nessas discussões foi possível perceber que alguns dos problemas que afligem as três intituições brasileiras são muito parecidos, e não diferem muito dos problemas identificados em escolas como Harvard e MIT e que levaram essas universidades a propor uma nova maneira de formar engenheiros”, revela Gabriela Celani, professora da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo e assessora da Pró-Reitoria de Graduação. Segundo ela, parece ser consensual que os principais problemas nas escolas de engenharia são: a falta de motivação dos alunos nos primeiros anos do curso, quando o conhecimento básico é apresentado de maneira desvinculada da prática e com foco apenas na resolução de problemas numéricos, sem que isso necessariamentente resulte em conhecimento conceitual; e a falta de oportunidades para o desenvolvimento de habilidades complementares, como a capacidade de comunicação, o empreendedorismo e uma visão mais humanística da sociedade e do meio ambiente.

Ao longo dos quatro dias do curso, que incluíram palestras, workshops e uma visita ao Olin College (Massachusetts), os professores conheceram as técnicas pedagógicas e o redesenho curricular implementados nas principais escolas do mundo para superar esses problemas. O programa contou com a participação de professores que promovem métodos de ensino inovadores, como Eric Mazur, professor de Física de Harvard e criador do método conhecido como just-in-time teaching; David Darmofal, professor do Departamento de Aero-Astro do MIT; Janet Rankin, do Teaching and Learning Lab do MIT, que promove o ensino baseado em laboratórios, e Robert Martello e Jonathan Stolk, professores do Olin College, que descreveram sua experiência de ensino interdisciplinar envolvendo ciência dos materiais e história da tecnologia. Além disso houve apresentações sobre tendências em ensino de engenharia, como a de Ruth Graham, que coordenou um número do Journal of Engineering Education sobre esse tema, e a de Richard Miller, presidente do Olin College, que falou sobre os objetivos dessa escola dedicada exclusivamente a formar engenheiros para o Século XXI.

Como compensação pelo dia de aula perdido, em consequência do furacão, o LASPAU enviará os professores que não puderam ir a Boston na semana passada para finalizarem o programa aqui no Brasil, em local e data a serem definidos. Além disso, estão previstas uma série de reuniões entre os professores que participaram do evento – eles vão estudar a melhor forma de implementação das novidades em seus cursos nas três universidades. O grupo acredita que a melhor forma de conseguir uma verdadeira transformação é por meio de um trabalho colaborativo envolvendo as três universidades, o que, de acordo com Celani, permitirá a troca de experiências e o acompanhamento externo do progresso obtido por cada uma.
Fonte: UNICAMP

Comentários estão fechados.